sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÕES SINDICAIS



EDITAL DE CONVOCAÇÃO

O Presidente do SINDICATO DOS VIGILANTES E EMPREGADOS EM EMPRESAS DE SEGURANÇA E VIGILÂNCIA, DE TRANSPORTE DE VALORES DE NITERÓI, ITABORAI E RIO BONITO/RJ, CNPJ n. 30.184.261/0001-70, no uso de suas atribuições legais conferidas pela alínea b do parágrafo 2º do artigo 12 do Estatuto Social, convoca todos os associados para Assembleia Geral para Eleição da renovação Diretoria e do Conselho Fiscal e seus respectivos suplentes, para o quinquênio de 2014/2019, a ser realizada na sede do sindicato sito a rua Marques do Paraná, 143, centro, Niterói, no dia 12 de Fevereiro de 2014, no horário compreendido entre as 07:00 horas ás 19:00 horas.

1.    As inscrições das chapas concorrentes devem obrigatoriamente serem efetuadas na sede sindicato rua Marques do Paraná, 143, centro, Niterói, no prazo de até 3(três) dias após a publicação do presente edital, excluindo-se o dia da publicação e incluindo o dia do vencimento, no horário de funcionamento da secretaria de 09h00min as 14h00min iniciando o prazo na quarta feira dia 05/03/2014 e terminando na sexta feira dia 07/03/2014;
2.       O presidente neste ato designa a comissão eleitoral para coordenar e dirigir o processo eleitoral, com a seguinte composição: presidente Clarissa Costa de Carvalho, e membros da comissão Willian Salvador Martins Chaves e Jair Nunes Fraga.
3.       Os casos omissos desse edital serão resolvidos pela comissão eleitoral;

Niterói, 27 de Fevereiro de 2014.


Claudio José de Oliveira
Presidente

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Negociação salarial começa com divergências entre patrões e sindicatos. Dirigentes querem aumento real e melhorias nas cláusulas sociais

Os sindicatos dos Vigilantes de Niterói, São Gonçalo e região (SVNIT), Petrópolis e região e Duque de Caxias iniciaram as negociações da campanha salarial 2014 com o Sindesp – Sindicato das Empresas em Segurança Privada (patronal). O encontro aconteceu na sede do patronal na manhã desta quarta-feira (26) onde foram debatidos cláusulas sociais e aumento real para a categoria. Os patrões abriram a reunião apresentando uma proposta de reposição da inflação no salário e no tíquete. Os sindicalistas rejeitaram a proposta e um novo encontro ficou agendado para o dia 10 de março.

Nas discussões os sindicatos levantaram a importância de revisão de cláusulas como a multa por atraso no pagamento de salários, com aplicação da multa para atrasos a partir do 5º dia útil e não no oitavo como está na atual convenção; os sindicalistas apresentaram também a necessidade de contratação de vigilantes femininos o que diminuiria os constrangimentos nas revistas, principalmente nos bancos; fim das reciclagens nos finais de semana; melhorar a redação da cláusula que trata sobre o atestado médico; aumento da hora do adicional noturno de ao invés de 22hs às 5hs, para 22hs às 7hs.

As discussões também passaram sobre as contratações de vigilantes para grandes eventos como a Copa do Mundo. Já existe em Brasília uma discussão entre a Confederação Nacional dos Vigilantes, empresários e Ministério do Trabalho para melhorar os valores das diárias e as condições de trabalho.

Os sindicatos levantaram também a necessidade das empresas reduzirem o desconto do tíquete de alimentação que hoje é de 20%. A proposta foi de que apenas 5% seja descontado do vigilante, o que já representaria ganho real no salário.

Os patrões foram enfáticos em afirmar não ser possível conceder aumento real, mas sinalizaram que avanços nos tíquetes alimentação eram possíveis.


A posição dos sindicatos é manter a exigência de ganho real no salário para a categoria além da concessão dos outros benefícios. A próxima reunião negocial acontecerá às 14hs do dia 10 de março onde uma nova proposta deverá ser apresentada.

Estiveram na reunião os presidentes Cláudio Vigilantes (SVNIT), Adriano Linhares (Sind. Petrópolis) e Carlos Gil (Sind. Duque de Caxias).

WMC Assessoria

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Cidades-sede da Copa ocuparão 50 mil vigilantes temporários

Cerca de 50 mil vigilantes serão contratados para atuar nas cidades-sede da Copa do Mundo. Afirmou ontem (24) à Agência Sindical o presidente da Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV), José Boaventura Santos. Ele participa, em São Paulo, do II Seminário Geral de Segurança para Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014, realizado na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, na segunda a terça (25).

Boaventura afirma: “A ideia é que as garantias e os direitos sejam muito mais avançados para os temporários, exatamente pelos riscos que essa condição impõe. Porque uma coisa é o trabalhador contratado regularmente - é uma relação estável. Outra coisa são os riscos de contratos de curto prazo. Estamos trabalhando para que eles tenham condições dignas de trabalho, com segurança e todos os cuidados à saúde e à proteção”.

Salários - Segundo o dirigente, os salários devem ser melhores para os 50 mil em comparação com o ganho médio da categoria. “Nosso pleito é que seja um valor diferenciado. Mas ainda é cedo para adiantar alguma coisa. Tudo está sendo negociado”, diz.

Convite - Boaventura conta: “A Confederação recebeu o convite da Fifa para participar do Seminário e convidou os Sindicatos de vigilantes das cidades-sede da Copa. Praticamente todos estão presentes”. A Fifa conclui em março a contratação das empresas do setor.

Qualificação - Para se candidatar a uma das vagas, é preciso ter, no mínimo, ensino fundamental. Outra exigência: participar das 50 horas de aula do curso de especialização exigido pela Polícia Federal. “Quem pretende atuar na Copa deve procurar escolas credenciadas pra fazer o curso”, recomenda o sindicalista.

A maior parte dos vigilantes trabalhará dentro dos estádios. A segurança externa, e do entorno, ficará por conta da Polícia Militar.

Informações - No Sindicato dos vigilantes da região. No site da Confederação há endereços e telefones das entidades: confira no www.cntv.org.br/entidades-sindicais.html

Fonte: Agência Sindical

Lei Municipal obriga a instalação de portas giratórias em todas as agências bancárias de Macaé

Baseado em uma reivindicação do Sindicato dos Bancários de Macaé e Região foi sancionada, pelo Prefeito Dr. Aluízio Júnior, a Lei da Porta Giratória (Lei 4022/2013)em Macaé. A Lei é uma iniciativa do vereador Marcel Silvano - PT, que apresentou um Projeto de Lei na Câmara de Macaé, após reivindicações da categoria de bancários durante a greve nas agências em setembro do ano passado. A partir de março deste ano, todas as agências bancárias situadas no município de Macaé deverão estar com o respectivo item instalado.
Um estudo realizado pela Federação Brasileira de Bancos, Febraban, a nível Brasil, comprovou a eficácia das portas com detector de metais na segurança das agências bancárias, desde o início da sua utilização no país, no final dos anos 90. De2000 a2010, o número de ocorrências de assaltos a bancos caiu de 1.903 para 369 em todo o país, o que representa queda 80,16% nos registros de assaltos. A estatística também aponta que em 2011, quando o Itaú retirou portas giratórias na reforma de muitas agências e o Bradesco inaugurou unidades por conta do fim do convênio do banco postal com os Correios, o número de assaltos cresceu 14,36% em relação ao ano anterior.
 “As portas giratórias não impedem, mas dificultam muito a entrada de pessoas armadas dentro das agências. Criam um obstáculo importante à liberdade ação e de movimentos dos assaltantes. Por isso, desestimulam os assaltos” comentou Wagner Figueiredo, presidente do Sindicato dos Bancários de Macaé e Região.
Fonte: Clique Diário

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

JORNAL O POVO DE NITEROI & REGIÃO MARCA A DATA DA ENTREGA DO PREMIO.

SINDICATO SVNIT recebe 76% dos votos em pesquisa dos Melhores do Ano 2013 realizada pelo Jornal O Povo de São Gonçalo e ganha o Premio de melhor Entidade Sindical do Ano de 2013.
 

A entrega do Premio será no dia 24/02/2014 ás 19:30 horas no E.C. Municipal em Itaboraí.

Segue para conhecimento da categoria da nossa região o convite encaminhado pelo Jornal o Povo de Niterói, São Gonçalo & Região para a nossa entidade Sindical.
 

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Sindicato SVNIT comemora recorde de acessos ao site


A diretoria do Sindicato dos Vigilantes de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Rio Bonito e Maricá, comemorou nesta terça-feira, exatamente às 21hs mais uma grande vitória. No dia 19 de fevereiro de 2013 em plena discussão da campanha salarial a diretoria do Sindicato SVNIT decidiu solicitar ao nosso competente Jornalista Willian Chaves que preparasse um site onde pudéssemos dar ao Vigilante meios de se comunicar e interagir com o Sindicato, além buscar informações sobre a categoria e seus direitos.

A decisão da diretoria do Sindicato SVNIT foi acertada e, assim que colocamos no ar o nosso site, em menos de 01 mês de vida, já tínhamos mais de oito mil acessos. Nesta terça, dia 18 de Fevereiro de 2014, o nosso endereço eletrônico na internet completou o total de 100 mil acessos de IPs diferentes, sem contar os acessos às páginas e menus, um dia antes de completar um ano de vida.

Agradecemos a todos os vigilantes e amigos que acessaram o nosso site nestes doze meses em busca de informações e esclarecimentos sobre o que é de interesse da nossa categoria. Ficamos contentes por que estamos no caminho certo. O vigilante precisa de informação e de esclarecimento, uma vez que muitos trabalham em horários que os impedem de ir até o Sindicato e utiliza o site e o facebook como fonte de informação.

Por isso procuramos dar o melhor de nós atualizando diariamente o nosso site, através da nossa assessoria de imprensa que busca de todos os meios disponibilizar informações para deixar os nossos vigilantes atentos e informados sobre tudo que acontece envolvendo a categoria.


A informação é base da confiança e transparência das ações de um sindicato. A comunicação é primordial em qualquer órgão que representa trabalhadores. Continuem acessando.

Cláudio Vigilante
Presidente SVNIT

sábado, 15 de fevereiro de 2014

SINDICATO SVNIT DESCOBRE POSTO DE SERVIÇO ONDE O VIGILANTE TRABALHA COMO SE FOSSE ESCRAVO.



A diretoria do Sindicato dos Vigilantes de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Rio Bonito e Maricá/RJ (SVNIT), ao fazer o seu trabalho de visitar os postos de serviço na ultima quinta feira da 13/02/14 detectamos um posto de serviço em Itaboraí onde o vigilante tem que andar quase 3 km a pé numa rua que a maioria do trecho só tem mato debaixo de sol e chuva, e a empresa não dá a mínima condição para que os vigilantes possam chegar ao local de serviço.
 
 

  
No local de serviço os vigilantes têm que fazer ronda de uma e uma hora com bastão, sem iluminação e sem telefone porque o local é de difícil acesso, se algo acontecer ao vigilante ninguém tem como saber, isso é desumano. Afirmou Claudio Vigilante.
A diretoria do Sindicato SVNIT tendo a frente o Presidente do Sindicato Claudio Vigilante, o Vice Presidente Paulo Henrique, o 2º Secretario Eduardo de Carvalho e o Diretor Vilmar Vitor fez questão de tirar fotos onde comprova a total falta de condições para que o vigilante possa trabalhar.
Vamos protocolar segunda feria dia 17/02/2014 um oficio no Ministério Publico do Trabalho, onde vamos solicitar a convocação da empresa de Segurança e do contratante Queiroz Galvão, para que se explique para o sindicato e para o MPT o porquê da implantação do referido posto sem ter as mínimas condições para os vigilantes chegarem ao serviço e prestar o serviço.
Segundo Claudio Vigilante o Sindicato tem buscado estar sempre ao lado da categoria, sempre vamos estar onde o vigilante precisar, tendo condições de chegar ao posto de serviço nós vamos estar lá, cobrando e buscando soluções para que o Vigilante não possa ser usado como se fosse mercadoria, tempo de escravidão já acabou e o Vigilante precisa ser respeitado, doa quem doer não vamos deixar o vigilante sofrer.
Estamos publicando algumas fotos que tiramos mostrando a reais condições do local e da chegada ao local de serviço, as demais fotos vamos apresentar ao MPT de Niterói.
A diretoria do Sindicato SVNIT.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Sindicatos dos Bancários e Vigilantes garantem segurança em agência bancária

Dirigentes dos Sindicatos dos Vigilantes e Bancários de Niterói e região estiveram na quinta-feira, 13, numa agência do Itaú na cidade de Maricá para solucionar o problema com falta de segurança na unidade. O impasse ocorria, pois no horário de almoço a agência ficava com apenas um vigilante. Diante da intervenção dos sindicalistas a gerência da agência e a empresa de segurança se comprometeram a disponibilizar um profissional vigilante para realizar a rendição dos seguranças da unidade no horário de almoço.

A briga com o banco já ocorria há alguns meses e a instituição não resolvia a questão. A partir desta sexta-feira, 14, o sistema de rendição já vai acontecer na unidade. Os sindicatos consideraram importante a conquista e ressaltaram, mais uma vez, a parceria entre as entidades. A avaliação é de que a segurança dos funcionários e vigilantes é essencial para a integridade das pessoas e tranqüilidade no trabalho.

As duas entidades afirmaram ainda que outras agências serão investigadas afim de acabar com o problema de apenas dois vigilantes nos bancos.


Participaram da atividade os diretores: Jorge Porkinho, Miro Baptista e Altair Ramos do Sindicato dos Bancários e Vilmar Vitor, Eduardo, Paulo Henrique e o presidente Cláudio Vigilante do SVNIT – Sindicato dos Vigilantes de Niterói e região.

WMC Assessoria de Comunicação

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Sindicatos iniciam luta contra cobrança na emissão de certidões para a reciclagem dos vigilantes


Os Sindicatos dos Vigilantes de Niterói e região, Petrópolis e região e Duque de Caxias iniciaram nesta quarta-feira, 12, mais uma batalha em defesa da categoria. Os dirigentes sindicais das entidades levaram ao conhecimento do Deputado Estadual Gilberto Palmares os problemas e as dificuldades enfrentadas pelos vigilantes para realizar a reciclagem e/ou o curso de formação por conta da obrigatoriedade de certidões que devem ser apresentadas. Estas certidões, principalmente na cidade do Rio de Janeiro, chegam a onerar os trabalhadores em R$ 280,00, praticamente um terço de seu salário mensal.

Os sindicalistas apresentaram ao deputado a necessidade de se disponibilizar as certidões gratuitamente como manda a lei federal que afirma todos os documentos devem ser disponibilizados na rede mundial de computadores e gratuitamente. No Rio de Janeiro, os cartórios responsáveis pela emissão das certidões criminais chegam a cobrar R$ 70 por cada certidão. Como são quatro as obrigatórias, os vigilantes tem que desembolsar R$ 280 para os cartórios do município do Rio.

Tudo isso porque uma normativa do Polícia Federal  obriga que o vigilantes tenha que apresentar para realização de sua reciclagem ou curso de formação certidões negativas de débitos referentes ao município de sua residência e também da região onde se localiza o centro de formação. Como no Estado do Rio a grande maioria dos cursos está na capital, essa imposição financeira tem comprometido o ordenado dos trabalhadores.

O deputado Gilberto Palmares recebeu um dossiê completo onde revela consultas à Polícia Federal que afirma que as certidões devem ser emitidas gratuitamente e também exemplos de outros Estados como São Paulo, Bahia etc que disponibilizam os documentos na internet gratuitamente.

Palmares disse que vai lutar para que essa cobrança seja suspensa. Ele considerou que o vigilante tenha que fazer uma reserva financeira mensalmente em torno de R$ 12 por mês para se habilitar ao trabalho. O deputado afirmou ainda que não se pode onerar um trabalhador para ficar apto ao trabalho numa exigência para a profissão. O Estado deve incentivar o trabalho.

O próximo passo deve ser uma reunião agendada pelo deputado com o Presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro com os dirigentes sindicais para discutir o problema.


Participaram da reunião o presidente do Sindicato dos Vigilantes de Niterói, São Gonçalo e região, Cláudio Vigilante, o diretor do SVNIT, Vilmar Vitor, o presidente do Sindicato dos Vigilantes de Petrópolis e região, Adriano Linhares, o presidente do Sindicato de Duque de Caxias, Carlos Gil, e o vice-presidente de Caxias George Almeida, além de Humberto da NCTEC representando os centros de formação e a advogada Denise, como também a assessoria de imprensa dos sindicatos.

WMC Assessoria de Comunicação

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Jornal orienta leitores a acionar bancos na justiça por falta de segurança


O Jornal "O TEMPO", de Belo Horizonte, publicou matéria nesta segunda-feira (10) sobre o aumento dos ataques a bancos. A reportagem orienta seus leitores a entrarem com ação judicial contra os bancos que não seguem a legislação, que exige a implementação de equipamentos de segurança. 

Veja abaixo a reportagem completa:

Se não tem biombo, cabe ação 
O TEMPO
QUEILA ARIADNE

Há três anos, Belo Horizonte tem uma lei municipal (Lei 10.200/2011) para obrigar os bancos a instalarem biombos entre os clientes e os caixas, com o objetivo de impedir que as operações sejam vistas por terceiros. Em Contagem, na região metropolitana, a Lei 4344/2010 ainda é mais antiga. 

Mesmo assim, nem todas as agências cumprem a legislação e, muitas vezes, o consumidor é quem paga a conta, sendo alvo das crescentes saidinhas de banco. "O banco tem a responsabilidade de garantir a segurança na instituição e nos arredores, mas, se ele descumpre uma lei criada para dificultar a ação dos bandidos, o cliente tem o direito de processá-lo", explica o advogado Frederico Damato.

É o que motorista Juarez Cássio Silva pretende fazer. No dia 15 de janeiro deste ano, ele descontou um cheque no valor de R$ 1.100, no caixa, em uma agência do Bradesco, na praça da Cemig, em Contagem. Foi seguido por dois bandidos em uma moto, que o assaltaram na porta de sua casa, perto da agência. "Apontaram a arma para a minha filha. Foi horrível. Vou entrar com uma ação no Juizado de Pequenas Causas, pedindo o reembolso, porque a agência não tinha biombo e isso permitiu que eles vissem o que eu estava fazendo", conta.

Segundo o advogado, em casos como esse o cliente pode, sim, entrar na Justiça. "Ele pode sugerir que o banco prove que tinha o biombo, exigindo as imagens do circuito interno de segurança. Se realmente não tiver o biombo, ele comprova que o roubo foi facilitado", explica Damato.

A reportagem foi à agência citada no dia 31 de janeiro e o biombo estava instalado. Segundo o vigia, o painel havia sido instalado naquela semana, ou seja, cerca de uma semana depois do assalto. O Bradesco não confirmou a instalação. Por meio de nota, respondeu que "não comenta ou não divulga a maioria dos dados solicitados" e disse que segue um plano de segurança aprovado pela Polícia Federal.

No mesmo dia da visita, a reportagem percorreu dez agências do Banco do Brasil, Santander, Itaú e Caixa Econômica Federal, além do Bradesco, em Belo Horizonte e em Contagem. Em todas elas o painel opaco estava instalado. Entretanto, outro risco foi constatado: todas as agências visitadas possuem portas de vidro que permitem que um bandido veja perfeitamente a operação do cliente, sem nem mesmo precisar entrar no banco.

Para o presidente do Sindicato dos Bancários de Belo Horizonte e Região, Clotário Cardoso, o ideal seria que a lei dos biombos contemplasse também os caixas eletrônicos. O diretor de imprensa da Confederação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Ademir Wiederkehr, destaca que a lei deveria, pelo menos, exigir a instalação de divisórias maiores entre um caixa e outro. "Minas Gerais teve seis mortes em assaltos em 2013, nenhuma foi em Belo Horizonte, o que prova que a lei municipal inibe os bandidos", diz.

Febraban 
A Federação Brasileira dos Bancos afirma que segue a Lei 7.102/83, que obriga os bancos a submeterem à Polícia Federal um plano de segurança, e busca parcerias com órgãos públicos.

Investimentos e multas
R$ 2,4 bi Investimento em segurança, igual a 5,6% do lucro
R$ 24,3 mi Total de multas pagas pelos bancos em 2013

Diretor da Contraf defende isenção de taxas de DOC e TED 
A costureira Maria Aparecida Silva, 49, já foi vítima de um roubo dentro da agência bancária, e só percebeu horas depois. "Há mais ou menos três anos, eu estava mexendo na máquina e uma pessoa chegou, começou a falar comigo, dizendo que a máquina estava com defeito, e rapidamente trocou o meu cartão. "Só consegui que o banco me devolvesse o que foi sacado muito tempo depois", conta. Para ela, ajudaria muito se os bancos também instalassem divisórias entre os caixas.

O auxiliar de escritório Alexandre Geraldo Vieira, 40, conta que o irmão dele foi vítima de uma saidinha e o dinheiro da empresa foi roubado. "Tinha que ter biombo em todos os caixas", defende.

O diretor de imprensa da Confederação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Ademir Wiederkehr, tem outra sugestão. "O ideal mesmo seria criar isenção de taxas de transferência como DOC e TED. As pessoas só sacam quantias maiores porque querem fugir dessas taxas", alerta.

A Transferência Eletrônica Disponível (TED) é para valores acima de R$ 5.000 e o Documento de Ordem de Crédito (DOC) para quantias inferiores. A TED é imediata e tem taxas em torno de R$ 15, segundo o Banco Central. O DOC pode ser disponibilizado até um dia útil após a transação e as taxas variam entre R$ 6,50 e R$ 9. (QA)

Prefeituras fiscalizam e multam 
A lei municipal de Belo Horizonte 10.200 entrou em vigor em 2011. A fiscalização começou no ano seguinte. Desde então, a Secretaria Municipal Adjunta de Fiscalização (Smafis) vistoriou 160 bancos para checar o cumprimento do biombo e demais regras municipais de segurança exigidas para esses estabelecimentos. Deste total 15% estavam em desacordo. 

Até dezembro de 2013, foram aplicadas 65 multas em agências das regiões, Centro-Sul, Barreiro, Leste e Nordeste. Cada multa tem o valor de R$ 59,65 mil. Segundo a Smafis, a fiscalização começará nas demais regiões da capital neste ano.

Em Contagem, na região metropolitana, a Lei 4.344 existe desde 2010. Segundo a prefeitura, das 150 agências, 80 já instalaram as divisórias. As outras já foram autuadas, sendo que 50 apresentaram defesa e 15 agências já foram multadas.(QA)

Fonte: O TEMPO

sábado, 8 de fevereiro de 2014

ATENÇÃO VIGILANTES DAS EMPRESAS DE SEGURANÇA CJF

O Sindicato dos Vigilantes de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Rio Bonito e Maricá/RJ, comunica a todos os Vigilantes associados e não associados do Sindicato SVNIT que não peçam demissão da Empresa CJF se for convidado para assumir o posto de serviço por outra empresa por perda de contrato assumam.
Estamos acompanhando essa situação, inclusive o Presidente do Sindicato SVNIT Claudio Vigilante já está visitando os postos de serviço da CJF para conversar pessoalmente com cada vigilante.
Estamos levando orientação Jurídica para todos os companheiros de como proceder, para que não tenha que perder os seus direitos, porque se pedir demissão os vigilantes vão ter um prejuízo muito grande.
Companheiros a empresa CJF não tem informado nada aos vigilantes sobre a mudança ela está esperando terminar o contrato para criar uma situação e isso não vamos admitir, já estamos buscando saber qual a empresa que vai assumir os posto e vamos pedir para manter os companheiros, mesmo sem a CJF ter dado baixa na carteira.
Liguem para o Sindicato SVNIT se a empresa CJF começar a ameaçar os companheiros para pedir demissão.
Mais uma vez vamos estar ao lado dos vigilantes juntamente com o nosso departamento jurídico, para defender os companheiros dos maus empresários.
A diretoria do SVNIT

INFORMAÇÕES SOBRE O ANDAMENTO DA CAMPANHA SALÁRIAL DE 2014.

ATENÇÃO VIGILANTES DE NITEROI, SÃO GONÇALO, ITABORAI, RIO BONITO E MARICÁ/RJ.
Até a presente data a pauta ainda não foi entregue a Sindicato Patronal Sindesp, por motivo dos mesmos se recusar a receber alegando que estão em processo eleitoral e só depois das eleições deles é que receberiam a Pauta de reivindicação da categoria.
A diretoria do Sindicato SVNIT está tomando as devidas providencias legais para garantir que os empresários recebam as nossa propostas.
A nossa preocupação é que a data do termino do mandato da atual direção do Sindicato Patronal é 24 de Março e a nossa data base é 1º de Março Não podemos ficar esperando as eleições deles, porque podermos perder a nossa data base.
A diretoria do Sindicato SVNIT já entrou com o pedido de mesa Redonda no Ministério do Trabalho na próxima terça feira estaremos no Ministério Publico do Trabalho de Niterói e vamos pedir também que agendem uma mesa redonda com o Sindicato Patronal para que eles recebam as propostas de reivindicação. Companheiros mais uma vez vamos ter que nos unir em toda a região, dessa vez não é só banco mais todos os setores, exemplo: hospitais, Estaleiros, Shopping, Supermercados, Prédios Públicos além dos bancos, os empresários com essa demonstração querem levar a negociação para o tribunal que pra nossa categoria não é bom porque queremos propor aos empresários vários benefícios para a nossa categoria, a exemplo a redução do desconto do tíquete refeição, aumento no tíquete refeição, não desconto dos 6% de passagem do trabalhador, retirar da convenção coletiva a possibilidade de ter outras escalas que não seja a 12x36, negociar com a empresas e com a Febraban o aumento do efetivo nos bancos colocando uma vigilante feminina em cada agencia bancaria para que não tenhamos tanto problemas nas portas giratórias com as mulheres denunciando-os vigilantes, PLANO DE SAUDE Para os Vigilantes e dependentes bancados pela empresa, Multa de 20% pelo atraso do pagamento do salário após o 5º dia útil do mês podendo chegar a 50% voltada para o vigilante prejudicado e multa de 50% para as empresas por descumprimento da convenção coletiva de trabalho ente outras propostas.
Esperamos que nesta campanha salarial de 2014 os Vigilantes da nossa região se unam MUITO MAIS como já aconteceu, o Sindicato são os trabalhadores a diretoria faz o que a categoria decidir, por isso que temos a confiança dos vigilantes da nossa região porque sempre estivemos e sempre estaremos ao lado da categoria.
Em breve vamos convocar uma grande assembleia, para decidirmos em qual data em março deflagraremos a nossa greve buscando os nossos direitos, pois só podemos fazer a greve legal a partir de 1º de março para garantir os dias parados.
Contamos com o apoio e participação dos companheiros em mais essa luta pelos nossos direitos.
Peço que compartilhem e de a sua opinião sobre como devemos atuar se tivermos que deflagrar a nossa greve na data base.
Diretoria do SVNIT

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Notícia em rede nacional! CNTV tem nova diretoria


No 8º Congresso Nacional dos Vigilantes, realizado nos dias 30 e 31 de janeiro, a plenária elegeu por aclamação unânime nova diretoria executiva para comandar a Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV) pelos próximos quatro anos. O presidente, José Boaventura, o secretário geral, Cláudio Vigilante, o secretário de finanças, Jervalino Bispo, juntamente com toda a diretoria, foram empossados no dia 31 logo após a eleição.

O Congresso foi um momento vitorioso e palco para debates de temas importantes para a categoria de todo o país, como a legalização de todos os vigilantes (atualmente são aproximadamente 2 milhões, mas o dobro pode estar na ilegalidade); o piso salarial nacional de três salários mínimos para todos os estados; e o estatuto da segurança privada, que está sendo enviado à Casa Civil da Presidência da República e ficará sob fiscalização da Polícia Federal – nisto inclui-se a segurança eletrônica, o que dará condições dignas de trabalho para todos os companheiros.

Os delegados do 8º Congresso aprovaram também uma nota de solidariedade aos vigilantes de Rondônia, que sofrem com as 2.500 demissões anunciadas pelo governo do Estado no ano passado. Além disso, também foi aprovada uma moção de repúdio à decisão do governo de desempregar todos estes trabalhadores, e um grande ato em Porto Velhocom participação de representantes de sindicatos de vigilantes de todo o país.

Como convidados, participaram do Congresso o diretor da Uni Sindicato Global Benjamin Parton; o secretário de Organização da Cut Nacional, Jacy Afonso; o presidente da CUT Brasília, Rodrigo Britto; a delegada da PF e coordenadora da CCASP, dra. Silvana Helena; o assessor técnico do Dieese Thiago Oliveira; o dirigente da CUT Nacional Pedro Armengol; o diretor da Contracs Luiz Saraiva; e o secretário de imprensa da Contraf-CUT, Ademir Wiederkehr.


Fonte: CNTV

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Portaria do Ministério da Justiça poderá evitar mortes em assaltos a bancos

Após receber na tarde desta quinta-feira (30), em Brasília, a pesquisa nacional de mortes em assaltos envolvendo bancos, que apontou 65 assassinatos em 2013, a secretária nacional de Segurança Pública (Senasp) do Ministério da Justiça, Regina Miki, anunciou que levará ao ministro José Eduardo Cardozo a proposta de uma portaria de criação de um grupo de trabalho, a ser integrado pela Contraf-CUT, Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV) e Febraban, para discutir medidas para evitar novas mortes, especialmente de clientes em crimes de "saidinha de banco", que representam 55% das vítimas.

O grupo de trabalho deverá ser constituído nas próximas semanas e, segundo Regina, "em duas ou três reuniões" será possível definir propostas que sejam eficazes para proteger a vida das pessoas.

A pesquisa, elaborada pela Contraf-CUT e CNTV com base em notícias da imprensa e apoio técnico do Dieese, apontou um crescimento de 14% nas mortes em relação ao ano de 2012. As principais ocorrências (49%) foram a "saidinha de banco", que provocou 32 mortes, o assalto a correspondentes bancários (22%), que matou 14 pessoas, e o assalto a agências (12%), que tirou a vida de 8 pessoas. Houve também mortes em assaltos a caixas eletrônicos (6), abastecimento de caixas eletrônicos (3) e assaltos a postos de atendimento (2).

Mais uma vez, as maiores vítimas (55%) foram os clientes (36), seguidos de vigilantes (10), transeuntes (5) e policiais (7). Dois bancários também foram mortos, além de outras cinco pessoas, vítimas sobretudo de balas perdidas em tiroteios.

"Avaliamos como positiva a construção de uma portaria do Ministério da Justiça para definir medidas emergenciais, especialmente para combater a 'saidinha de banco', porque não podemos ficar esperando a divulgação da próxima pesquisa com novas mortes. Se nada foi feito, os números seguirão aumentando. A vida precisa ser colocada em primeiro lugar", afirma Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT.

A Contraf-CUT e a CNTV relataram a implantação de medidas eficientes em várias cidades do país, por força de leis municipais a partir da mobilização de sindicatos de bancários e vigilantes. "A instalação de portas giratórias com detectores de metais e biombos entre a bateria de caixas e as filas reduziu drasticamente os casos de 'saidinha de banco' e em capitais, como João Pessoa, Recife, Belo Horizonte e Belém, não houve notícia de mortes em 2013", destacou José Boaventura, presidente da CNTV.

Outra medida defendida por bancários e vigilantes é a isenção de tarifas de transferência de recursos (DOC, TED), como forma de reduzir a circulação de dinheiro na praça. "Muitos clientes sacam valores elevados somente para não pagar as altas tarifas dos bancos e viram alvos de assaltantes cada vez mais violentos", defende Ademir Wiederkehr, secretário de imprensa da Contraf-CUT e coordenador do Coletivo Nacional de Segurança Bancária,

Também participaram da audiência José Avelino e Conceição de Maria Costa, presidente e diretora da Fetec Centro Norte, respectivamente, bem como Maurício Sponton Rasi e Guilherme Leonardi, assessores da Senasp.



Fonte: Contraf-CUT com CNTV

sábado, 1 de fevereiro de 2014

SVNIT vai ocupar segundo cargo mais importante do Brasil na CNTV

Aconteceu em Brasília nesta semana o 8º Congresso Nacional dos Vigilantes com a presença de delegações de todo país. Na ocasião foram debatidos temas de interessa da categoria como o piso nacional unificado e garantias de direitos dos vigilantes.


O encontro serviu também para eleição da nova diretoria da Confederação Nacional dos Vigilantes. A presidência da entidade permaneceu com o combativo sindicalista José Boaventura e algumas mudanças ocorreram na Executiva da entidade com novidades para os vigilantes do Estado do Rio de Janeiro.

Na Secretaria Geral, primeira pasta a substituir a presidência da CNTV, foi eleito o presidente do Sindicato dos Vigilantes de Niterói e região (SVNIT), Cláudio Vigilante. Com o Sindicato de Petrópolis, ficou a pasta de Relações Internacionais que será ocupada pelo presidente Adriano Linhares. O Sindicato dos Vigilantes de Duque de Caxias, pela primeira vez também fará parte da direção do órgão máximo da categoria no Brasil. Carlos Gil, presidente, vai exercer o cargo de suplente da diretoria. Ainda contemplando o Rio de Janeiro, a responsabilidade para ajudar na Coordenação da Região Sudeste ficou à cargo de Paulo Henrique, vice-presidente do SVNIT, eleito diretor efetivo.

Os dirigentes fluminenses destacaram como uma grande vitória para os vigilantes do Rio de Janeiro poder participar dos trabalhos da Confederação. Eles lembraram que isso só foi possível graças ao trabalho sério realizado no Estado em defesa da categoria.

Outros momentos ainda reservaram gratas surpresas para o SVNIT. O Sindicato foi parabenizado pelo vitória na eleição realizada pelo Jornal O Povo de São Gonçalo que elegeu através de pesquisa como a Melhor Entidade Sindical de 2013 com mais de 76% dos votos.

Todo o processo de eleição mostrou a isenção da CNTV como foi destacado pelo presidente da Federação Interestadual dos Vigilantes (FEVIG), companheiro Moisés do Sindicato dos Distrito Federal.


A categoria sai mais forte e unida para buscar novos avanços em 2014. No Rio de Janeiro, vem aí a Campanha Salarial 2014 que promete um bom embate com os patrões para conquistar índices que realmente contemplem os anseios dos vigilantes.

WMCAssessoria