terça-feira, 28 de maio de 2013

SINDICATO DOS VIGILANTES DE NITERÓI, SÃO GONÇALO, ITABORAI, RIO BONITO E MARICÁ/RJ EM AÇÃO.

O Ministério do Trabalho e Emprego de Niterói atendendo a solicitação do Sindicato SVNIT agendou as audiências com as referidas empresas abaixo relacionadas para que a diretoria do sindicato possa denunciar e cobrar da direção das empresas mais respeito com os trabalhadores. Não vamos deixar algumas Empresas de Segurança tratem os Vigilantes da nossa região como escravos.
 

Solicitamos a todos os Vigilantes das Empresas de Segurança. MAX, FACILITY, AFEQUE e DLP que acessem o site do Sindicato e na seção fale conosco encaminhe a sua denuncia para que possamos ter subsídios no dia das audiências.
 

Informamos ainda quer em breve estaremos colocando no site e facebook do sindicato as mesas redondas de outras Empresas que já foram solicitadas ao MTE.

Claudio Vigilante Presidente do SVNIT atendendo ao clamor da categoria, vem  denunciando diversas Empresas de Segurança da nossa base territorial ao MTE com o objetivo de acabar com a falta de respeito de algumas empresas com os trabalhadores, que procuram o Sindicato para que não deixe que as empresas os tratem como escravo, porque é o que esta acontecendo, os Vigilantes trabalham e quando pensam que vão receber o salário, tiquete refeição e passagem , muitas das vezes os vigilantes tem que arrumar dinheiro emprestado para ir trabalhar, comprar comida e ainda ficam sem o pagamento do Salário pois algumas empresas não tem previsão para o pagamento.

A diretoria do SVNIT vai acabar com essa farra, está solicitando uma audiência com a superintendência do MTE e o Ministério Publico do Trabalho, e só vamos parar de denunciar quando essas empresas passarem a respeitar os Trabalhadores.

As Empresas de Segurança que prestam serviço nos Municípios de Niterói, São Gonçalo, Itaborai, Rio Bonito e Maricá, que se cuidem se prejudicar os trabalhadores a diretoria do SVNIT vai pra cima.

A diretoria do Sindicato dos Vigilantes de Niterói e regiões, Petrópolis e regiões e de Duque de Caxias, estão preparando uma proposta de projeto de lei e apresentará a categoria dos Vigilantes do nosso Estado e depois de todo o Brasil onde criminaliza o empresario que usa as empresas para se beneficiar e deixam os trabalhadores sem os seus direitos. Aguardem !



segunda-feira, 27 de maio de 2013

SVNIT participa de posse do novo Superintendente do Trabalho do Estado do Rio


O presidente do Sindicato dos Vigilantes de Niterói e regiões, Cláudio Vigilante, participou da posse do novo superintendente do Trabalho no Estado do Rio de Janeiro, Antônio Albuquerque. Cláudio aproveitou o encontro para agendar um encontro com o superintendente para discutir a situação de algumas empresas de segurança privada no Estado que não vem cumprindo a Convenção Coletiva de Trabalho e prejudicando o trabalhador. Algumas são prestadoras de serviços em órgãos públicos. O ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, foi quem empossou nesta segunda-feira (27) o novo superintendente do Trabalho no Rio Janeiro, Antonio Henrique de Albuquerque Filho. Toninho, como é conhecido, foi superintendente da SRTE na gestão do ex-ministro, Carlos Lupi.

Manoel Dias destacou a importância histórica do Ministério do Trabalho e Emprego desde Getúlio Vargas, defendendo que o órgão precisa retomar o seu papel protagonista nas relações trabalhistas, na defesa dos direitos dos trabalhadores e na geração de emprego e renda. Ele chamou a atenção para os últimos números do emprego no país, divulgados pelo ministério na semana passada, que demonstram a criação de 196 mil novas vagas de emprego. “Enquanto em outros países o emprego tem sido escasso, no Brasil nós temos alavancado vagas de trabalho. Somente no atual governo foram criadas mais de 4 milhões de novos postos”, exaltou o ministro.
O ministro também lembrou da necessidade de investir na mão de obra do MTE. “Não podemos fazer o nosso trabalho dignamente, sem que tenhamos um órgão com condições de dar apoio tanto ao trabalhador quanto aos empregadores”, frisou o ministro que adiantou melhorias nos postos de atendimento do MTE. “O objetivo da atual gestão é melhorar tanto as instalações físicas quanto o corpo de pessoal do ministério”, afirmou.
Para Manoel Dias a Superintendência do Rio de Janeiro é uma casa histórica, por onde já passou cidadãos que ficaram na história trabalhista. “Espero que Antonio Henrique dê continuidade a esse protagonismo do MTE aqui no Rio de Janeiro e nós vamos dar todo apoio para que isso aconteça”.
Antonio Henrique Albuquerque Filho é mineiro de Manhumirim, radicado no Rio de Janeiro desde 1970 e militante do PDT. Formado em Direito, o superintendente, empresário do setor de alimentação, exercia cardo de direção na Secretaria de Defesa do Consumidor do Estado.

Assessoria de Imprensa/MTE com SVNIT

Vigilantes da Protex também enfrentam problemas em Minas Gerais


quinta-feira, 23 de maio de 2013

Maricá empossa primeiro Conselho da Cidade instalado no estado do Rio


O prefeito Washington Quaquá deu posse nesta segunda-feira (20/5), no Paço Municipal, aos quinze integrantes do Conselho Municipal da Cidade de Maricá (ConCidade), eleitos durante a etapa local da 5ª Conferência Nacional das Cidades, ocorrida no último sábado (18/05). O conselho, primeiro a ser instalado no estado do Rio, é composto por integrantes do governo municipal, do Poder Legislativo e membros da sociedade civil representados por organismos como associações de moradores. O presidente do Sindicato dos Vigilantes de Niterói, Cláudio Vigilante, tomou posse representando a entidade.



Ao lado do prefeito, o secretário municipal de Direitos Humanos Miguel Moraes resumiu algumas das propostas feitas para a cidade.  Quaquá sugeriu a realização de reuniões mensais do conselho para que sejam debatidos projetos de interesse de Maricá.  Citou, por exemplo, a dragagem do canal da costa, em Itaipuaçu, como um dos temas que precisam ser discutidos nesses encontros. “Temos muita coisa prestes a acontecer e que precisa ser bem debatida”, afirmou o prefeito. “Com a lei dos portos, aprovada semana passada, o porto que tentamos de  Jaconé poderá ter, além, da movimentação do petróleo, reparos de embarcações e até construção de navios de guerra da Marinha brasileira”, acrescentou. “Há também o a questão da alteração do uso do solo para criação de uma área industrial. Maricá tem uma expectativa de crescimento cada vez maior e é preciso avaliar os próximos projetos cuidadosamente”, complementou Quaquá.

Alguns conselheiros também falaram durante o encontro, lembrando do clima produtivo e objetivo da conferência em prol do desenvolvimento da cidade. O decreto que dá posse aos conselheiros deverá ser publicado na edição desta quarta-feira (22/05) do Jornal Oficial de Maricá (JOM). A próxima reunião está marcada para quinta-feira (23/05), às 15h.

Veja aqui a relação dos membros do Conselho da Cidade.

Fonte: Prefeitura de Maricá

segunda-feira, 20 de maio de 2013

SVNIT Denuncia Empresas de Segurança ao Ministerio do Trabalho de Niteroi.





SVNIT garante assento no ConCidade de Maricá


Os Sindicatos dos Bancários e dos Vigilantes de Niterói e região asseguraram a participação no Conselho da Cidade no município de Maricá. A eleição para a composição do conselho ocorreu no último sábado, 18, durante a 5ª Conferência das Cidades “Quem muda a cidade somos nós: Reforma Urbana já!” realizada no Ciep 259 de Maricá. Durante todo o dia representantes de todos os setores da sociedade debateram temas referentes ao município e elegeram proposta para serem apresentadas na Conferência Estadual. Mobilidade urbana, meio ambiente, saneamento, abastecimento de água, habitação e desenvolvimento do município foram temas da pauta de discussão no encontro.

O presidente do Sindicato dos Vigilantes de Niterói e região, Cláudio Vigilante, é o titular da representação dos trabalhadores no Conselho. A suplência ficou com o Sindicato dos Bancários.

A posse dos novos conselheiros está marcada para segunda-feira, 20, às 15hs, no gabinete do prefeito Washington Quaquá, na prefeitura de Maricá. A abertura do evento teve uma bela explanação de Quaquá que contou um pouco da história do município e falou também dos investimentos que o Executivo vem realizando na cidade. A condução de toda a conferência ficou á cargo da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania. A pasta é comandada pelo Secretário Miguel Moraes.

A eleição dos membros do Conselho Municipal da Cidade de Maricá (ConCidade) atendeu à exigência do decreto nº 89, de 18 de abril de 2013. Na oportunidade também foram escolhidos os delegados que irão representar o município na etapa estadual, que será realizada em agosto, e de onde serão eleitos os representantes da 5ª Conferência Nacional das Cidades, evento que acontece a cada dois anos em Brasília. Nesse ano, a etapa nacional será no período de 20 a 24 de novembro de 2013, com a presença do Ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro.

Assessoria de Comunicação SVNIT




sexta-feira, 17 de maio de 2013

Atenção Vigilantes da Empresa de Segurança JVI

A diretoria do Sindicato dos Vigilantes de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Rio Bonito e Maricá/RJ SVNIT, solicita a todos os Vigilantes da Empresa de Segurança JVI que presta serviço na nossa base territorial, para que encaminhe através do site do nosso sindicato denuncia de irregularidades que a empresa vêm cometendo contra os Trabalhadores.
Estamos dispostos a ajudar e lutar pelos companheiros, mais precisamos saber o que esta acontecendo, por isso estamos fazendo esta solicitação, não precisa se identificar basta acessar o link fale conosco e manda a sua denuncia.
Claudio Vigilante

ATENÇÃO VIGILANTES DA EMPRESA DE SEGURANÇA VIGBAN


A diretoria do Sindicato dos Vigilantes de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Rio Bonito e Maricá/RJ SVNIT, em virtude de estar recebendo algumas ligações no Sindicato denunciando a referida empresa por irregularidades, solicita que todos os Vigilantes da nossa Base Territorial entre no site do Sindicato SVNIT e na seção fale conosco faça a sua denuncia especificando as situações.

Companheiros não precisa se identificar basta informar qual é o posto de serviço e também o quantitativo de vigilantes atingidos pelas irregularidades.

Solicitamos ainda que nos informe onde a empresa de Serviços Vigban está prestando serviço com a  função Vigia para fazer o serviço de vigilante.

Claudio Vigilante

ATENÇÃO VIGILANTE DA EMPRESA DE SEGURANÇA MAX

A diretoria do Sindicato dos Vigilantes de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Rio Bonito e Maricá/RJ SVNIT, em virtude de estar recebendo algumas ligações no Sindicato denunciando a referida empresa por irregularidades, solicita que todos os Vigilantes da nossa base territorial e em especial os Vigilantes do Comperj, que entre no site do Sindicato SVNIT e na seção fale conosco faça a sua denuncia especificando as situações. Companheiros não precisa se identificar basta informar qual é o posto de serviço e também o quantitativo de vigilantes atingidos pelas irregularidades.
Claudio Vigilante

Jornal O Fluminense destaca paralisação do SVNIT na Biblioteca Pública de Niterói


Categoria reivindica salário atrasado referente ao mês de abril e pede adicional de 30% por periculosidade e pagamento de dissídio coletivo. Prédio foi reaberto após reunião

Vigilantes que trabalham na Biblioteca Pública de Niterói cruzaram os braços na manhã de quinta-feira e fizeram manifestação em frente ao prédio, na Praça da República, no Centro. A categoria reivindicava salário atrasado referente ao mês de abril, além de adicional de 30% por periculosidade e pagamento do dissídio coletivo retroativo ao mês de março. Devido ao protesto, a unidade não abriu durante o dia.
De acordo com o Sindicato dos Vigilantes de Niterói e região, ao todo 12 vigilantes trabalham na biblioteca, administrada pelo Governo do Estado. Na tarde de quinta-feira, uma reunião entre representantes da categoria e da Hopevig, empresa terceirizada que faz vigilância e segurança do espaço, pôs fim no impasse com a promessa de que as reivindicações dos trabalhadores seriam atendidas.
“Após a reunião, ficou acertado que a empresa Hopevig Vigilância e Segurança vai depositar o salário atrasado, a periculosidade e o dissídio coletivo na conta dos funcionários na segunda-feira”, disse o presidente do Sindicato dos Vigilantes, Cláudio José. Após o acordo, os vigilantes retornaram ao trabalho e a biblioteca foi aberta ao público.

O FLUMINENSE

Paralisação dos Vigilantes da Biblioteca Pública de Niterói arranca compromisso de pagamento dos salários até segunda-feira, 20


A paralisação dos vigilantes da empresa Hopevig que atuam na Biblioteca Pública de Niterói comandada pelo Sindicato dos Vigilantes de Niterói arrancou um compromisso da empresa de efetuar o pagamento dos salários atrasados e todas as diferenças pendentes até a próxima segunda-feira. Os trabalhadores cobraram os salários do mês de abril, o pagamento do adicional de risco de vida e a diferença salarial do acordo coletivo retroativo a 1º de março.



A proposta da empresa só chegou após o presidente do Sindicato insistir num contato por telefone. A direção da Hopevig enviou um representante até o local da paralisação para negociar com o sindicato e os trabalhadores.

Os Vigilantes concordaram com a proposta. O presidente do Sindicato, Cláudio Vigilante, alertou a Hopevig que em caso de descumprimento do acordo as atividades voltarão a ser paralisadas com retorno apenas quando o crédito dos salários estiver nas contas dos trabalhadores. Cláudio lembrou ainda que a empresa deverá pagar uma multa no próximo salário conforme determina a Convenção Coletiva de Trabalho.

“Alertamos a empresa sobre as sanções pelo descumprimento da nossa CCT. Com o atraso nos salários ela deverá pagar uma multa de 20% sobre o piso para cada vigilante que teve o salário atrasado já no próximo pagamento. A direção concordou, pois não há alternativa já que convencionamos isso em nossa convenção”, afirma Cláudio Vigilante.

Os vigilantes se mostraram satisfeitos com a atuação do presidente do SVNIT. Cláudio esteve presente durante todo ato e buscou o melhor de forma democrática para os trabalhadores o tempo todo. Cláudio ainda negociou junto a empresa que nenhum vigilante sofreria qualquer punição pela paralisação, ou seja, nem desconto pelo dia parado nem advertência, o que foi aceito pela empresa.

Mais uma vez os vigilantes de Niterói demonstraram unidade e solucionaram um impasse em tempo recorde. A categoria acredita no trabalhador sério desempenhado pelo presidente do Sindicato dos Vigilantes de Niterói e acredita em Cláudio Vigilante. A capacidade de mobilização e uma posição firme ao lado dos trabalhadores durante as negociações tem credenciado Cláudio como uma das lideranças sindicais mais atuantes do Estado do Rio. Diretor da Confederação Nacional dos Vigilantes e da CUT, Cláudio tem seu trabalho reconhecido nacionalmente. Vigilante desde 1987, sabe realmente, o que o vigilante sofre em seu posto de serviço. Os vigilantes do Estado do Rio de Janeiro, em especial de Niterói e região, finalmente, encontraram uma voz contra as injustiças que algumas empresas cometem contra a categoria. 

Assessoria de Comunicação

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Vigilantes cruzam os braços na Biblioteca Nacional nesta quinta-feira


Nesta quinta-feira, 16 de maio, os vigilantes da Biblioteca Nacional e do DIAT Infantil Alice Pereira em Niterói vão cruzar os braços em protesto contra a empresa de Segurança Hopervig não ter efetuado o pagamento do salário do mês de abril,  o risco de vida  e a diferença do acordo coletivo de trabalho da categoria assinado entre vigilantes e patrões no mês passado. O Sindicato dos Vigilantes de Niterói e região está à frente da paralisação e confirmou que os vigilantes só voltam a trabalhar se a empresa pagar os salários.

De acordo com Cláudio Vigilante, presidente do Sindicato, a atitude da empresa é vergonhosa. “Uma empresa do porte da Hopervig deixar os seus funcionários sem pagamento é um grande absurdo”, afirma.

Além da paralisação, o SVNIT vai encaminhar uma denúncia ao Ministério do Trabalho de Niterói solicitando uma mesa redonda e um pedido de fiscalização na empresa por descumprimento da Convenção Coletiva de Trabalho e da legislação em vigor.

“A diretoria do SVNIT vai estar sempre ao lado do trabalhador e não vamos deixar que as empresas tratem os trabalhadores como escravos. Temos defender por que são pessoas que dependem de seu ordenado para o sustento da família. A categoria  deve procurar o SVNIT e denunciar as irregularidades que as empresas cometem. Somente assim conseguiremos ajudar os vigilantes e da amparo em suas reivindicações”, assegura Cláudio.

Assessoria de Comunicação

domingo, 12 de maio de 2013

Fiquem Atentos Vigilantes Nova Lei do Aviso Prévio



Já está em Vigor a nova Lei do aviso prévio que beneficia todos trabalhadores, tornando mais difícil as demissões.


Caso o trabalhador venha ser demitido dependendo o tempo de serviço junto à empresa empregadora o aviso torna-se mais longo. Dando mais prazo para o trabalhador se organizar.
 
Por isso companheiro quando for demitido cobre do seu Sindicato o cumprimento da lei, se a empresa não colocar na rescisão peça para o sindicato colocar resalva para que o trabalhador não possa ser prejudicado e buscar os seus direitos posteriormente.

Esse é o papel do Sindicato alertar a sua categoria para os seus direitos.


Confira a Tabela abaixo:
 

Tempo de Serviço na Mesma Empresa Aviso Prévio Proporcional Até 1 ano                                                                                     30 dias
De mais de 1 ano até menos de 2 anos                30 + 03 = 33 dias
De 2 anos até menos de 03 anos                           30 + 06 = 36 dias
De 3 anos até menos de 04 anos                           30 + 09 = 39 dias
De 4 anos até menos de 05 anos                           30 + 12 = 42 dias
De 5 anos até menos de 06 anos                           30 + 15 = 45 dias
De 6 anos até menos de 07 anos                           30 + 18 = 48 dias
De 7 anos até menos de 08 anos                           30 + 21 = 51 dias
De 8 anos até menos de 09 anos                           30 + 24 = 54 dias
De 9 anos até menos de 10 anos                           30 + 27 = 57 dias
De 10 anos até menos de 11 anos                         30 + 30 = 60 dias
De 11 anos até menos de 12 anos                         30 + 33 = 63 dias
De 12 anos até menos de 13 anos                         30 + 36 = 66 dias
De 13 anos até menos de 14 anos                         30 + 39 = 69 dias
De 14 anos até menos de 15 anos                         30 + 42 = 72 dias
De 15 anos até menos de 16 anos                         30 + 45 = 75 dias
De 16 anos até menos de 17 anos                         30 + 48 = 78 dias
De 17 anos até menos de 18 anos                         30 + 51 = 81 dias
De 18 anos até menos de 19 anos                         30 + 54 = 84 dias
De 19 anos até menos de 20 anos                         30 + 57 = 87 dias
De 20 anos em diante                                              30 + 60 = 90 dias

ATENÇÃO VIGILANTES DA EMPRESA DE SEGURANÇA FACILITY



A diretoria do Sindicato dos Vigilantes de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Rio Bonito e Marica/RJ, comunica a todos os Vigilantes da Empresa Facility que já solicitamos uma audiência no Ministério do Trabalho de Niterói com a empresa para tratarmos dessa e de outras irregularidades que a empresas vem cometendo contra os trabalhadores.
Na próxima segunda feira dia 13/05/13 vamos publicar no site do SVNIT o oficio onde o Sindicato está solicitando a mesa redonda.
Peço que todos os Vigilantes da nossa base territorial que encaminhe para o fale conosco todas as irregularidades que a empresa esta cometendo e quais são as escalas que a empresa esta usando.
Mais uma vez a direção do Sindicato SVNIT demonstra que esta do lado do trabalhador, a categoria precisa valorizar o nosso trabalho, se associando para fortalecer o Sindicato SVNIT.
Claudio Vigilante
Presidente do SVNIT

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Sindicato garante pagamento de salários atrasados e agências do Banco do Brasil voltam a funcionar em Niterói e Regiões



Na reunião realizada no início da tarde desta quinta-feira entre Sindicato dos Vigilantes, Protex Segurança e a direção do Banco do Brasil a empresa se comprometeu a sanar todos os problemas apresentados pelos trabalhadores. A Protex deverá creditar ainda hoje todas as férias e horas extras atrasadas de todos os vigilantes e o pagamento do salário, que também estava atrasado, será depositado nesta sexta-feira, 10. O comprometimento foi junto ao presidente do Sindicato, Cláudio Vigilante, e à direção do banco. Com o acordo, os vigilantes resolveram voltar ao trabalho e o atendimento nas agências foi normalizado.

Na manhã desta quinta-feira, os vigilantes que prestam serviço para o Banco do Brasil,  paralisaram o funcionamento de várias agências. A medida foi para protestar contra a falta de pagamento de salários e férias e horas extras vencidas e não pagas. As paralisações foram coordenadas pelo Sindicato dos Vigilantes de Niterói e região.

Os vigilantes se concentram na porta da maior agência do centro de Niterói em busca de uma solução para o impasse.

O Presidente do Sindicato dos Vigilantes de Niterói, Cláudio Vigilante, comemorou o fim do impasse.

“A demonstração de união da categoria mostrou aos empresários que não podem fazer o que querem com os trabalhadores. Fizemos uma paralisação pacífica e ordeira procurando não atrapalhar a vida de ninguém. Só queríamos que a Protex pagasse o que é de direito dos vigilantes. Tivemos uma reunião produtiva e avançamos com o compromisso da empresa de quitar todos os débitos. Nosso sindicato é de luta. Estamos sempre à disposição da categoria para brigar pelos nossos direitos. Não podemos admitir, em hipótese alguma, que sejamos escravos de um sistema onde vendemos nossa força de trabalho e não recebemos por isso. O vigilante é chefe de família e depende de seu ordenado para sustentá-la. Estamos felizes com o desfecho e vamos aguardar o cumprimento de todos os acordos atentos a tudo”, declarou Cláudio Vigilante.

O atendimento interno aos clientes e usuários foi normalizado no meio de tarde em todas as agências onde ocorreram as paralisações.

Assessoria de Comunicação

Vigilantes fecham agências do Banco do Brasil em Niterói nesta quinta-feira por pagamento de salários


Vigilantes paralisam o funcionamento de várias agências do Banco do Brasil em Niterói nesta quinta-feira, 09, para protestar contra a falta de pagamento de salários. As paralisações são coordenadas pelo Sindicato dos Vigilantes de Niterói e região a pedido da categoria que sofre com atrasos desde fevereiro. Além dos salários, os trabalhadores também reclamam de férias vencidas e não pagas e às vezes trabalhadas. O movimento deve permanecer durante todo o dia e o atendimento ao público está interrompido.


Na avenida Amaral Peixoto, uma grande agência do Banco do Brasil, a principal do corredor financeiro do centro de Niterói, está fechada sem a perspectiva de abertura. Os vigilantes se concentram na porta da unidade em busca de uma solução para o impasse.  A empresa Protex informou que deve negociar uma solução com o Sindicato ainda nesta quinta-feira.

O Presidente do Sindicato dos Vigilantes de Niterói, Cláudio Vigilante, afirmou que ficou insustentável a situação da empresa com os trabalhadores.

“Há algumas semanas os vigilantes nos procuraram para informar as barbaridades que a empresa vem praticando contra os trabalhadores. Temos os problemas das férias e agora o atraso nos salários. Já fizemos vários contatos com a direção da empresa que sempre prometia uma solução, mas nada de concreto foi feito. Não vimos outra alternativa a não ser paralisar as agências e mostrar também o Banco do Brasil, contratante da vigilância e que sempre soube do problema, que os trabalhadores não poderiam continuar nesta situação. São chefes de família que dependem desse dinheiro para sustentar suas casas. Vamos aguardar uma solução que não poder nenhuma outra que não seja o crédito do salários dos vigilantes hoje ou amanhã. Se caso não aconteça, permaneceremos com as paralisações. Pedimos a compreensão da população neste momento”, garantiu Cláudio Vigilante.

Segundo a direção do Banco do Brasil, a fatura referente a prestação de serviços de vigilância está em dia com a empresa Protex, o que não justificaria, portanto, o atraso nos salários. Os bancos não podem realizar atendimento ao público por que a legislação federal obriga o cumprimento do plano de segurança que impõe um número mínimo de vigilantes por agência para o atendimento com numerário. Os caixas eletrônicos funcionam normalmente.

Uma reunião entre o Sindicato, a Protex e a direção do banco deve acontecer no início da tarde.

Assessoria de Comunicação

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Greve no ES para 100% da categoria e tem apoio do Sindicato de Niterói



Os trabalhadores de carros fortes do Espírito Santo, em greve desde o dia 29 de abril, realizaram nesta quarta-feira (8) mais uma assembleia organizativa em frente à Brinks. Logo após, seguiram em passeata em direção ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT), onde está agendada para as 14h uma audiência de conciliação. Os diretores da Confederação Nacional dos Vigilantes, Cláudio Vigilantes, do Sindicato de Niterói, e Adriano Linhares, do Sindicato de Petrópolis, ambos do Estado do Rio de Janeiro, estão na capital capixaba para auxiliar nas negociações e no controle da greve.

Segundo o presidente do Sindfortes-ES, Wildson Damacena, mais de 400 vigilantes estão participando das atividades realizadas pelo Sindicato.

“Hoje mesmo, novamente, os trabalhadores que se concentravam em frente à Prosegur saíram de seus postos para participar da assembleia realizada na porta da Brinks”, afirmou.

A greve tem adesão de 100% da categoria. A paralisação dos vigilantes teve início como uma manifestação para exigir negociações, já que há dois anos isso não acontecia. Sem resposta do patronato, os trabalhadores foram empurrados para a greve e buscam, de forma legítima, garantir seus direitos.

Vigilantes do ES participarão de conciliação no TST

Além da equiparação salarial com os vigilantes do Rio de Janeiro, há também a luta por melhores condições de trabalho, entre outros.

Os trabalhadores do ES estão recebendo apoio de dirigentes sindicais de todo o país. “Diariamente recebemos ligações de companheiros do Brasil todo para manifestar apoio à nossa paralisação. É muito importante sabermos que não estamos sozinhos nessa luta”, destacou Damacena.

Práticas Antissindicais

Trabalhadores de todo o país devem denunciar as práticas antissindicais das empresas na tentativa de enfraquecer o movimento paredista ou suprimir direitos. Na greve do Espírito Santo, por exemplo, além das constantes ameaças, as empresas estão convocando vigilantes de outros Estados para furar a greve.

“Um companheiro abaixou o vidro do carro e me disse que não sabia que estava vindo para furar a greve. As empresas estão mentindo para os seus funcionários dizendo que eles vêm apenas para ocupar postos novos. Estão sendo enganados para frustrar o nosso movimento”, denunciou Damacena.

“Nós, trabalhadores, repudiamos essa prática das empresas. Ao invés de concentrar forças para negociar, usam do poder econômico para tentar enfraquecer nosso movimento, envolvendo companheiros de outros Estados. Não vamos nos intimidar! A greve continua!”, declarou Damacena.

Fonte: CNTV